Sobre preços, custos e mercado: o “case” do tratamento da LMC

O tratamento da leucemia mielóide crônica com inibidores de tirosino-quinase é talvez o maior exemplo do potencial da pesquisa em modificar substancialmente – para melhor – o tratamento de doenças hoje incuráveis.  Tendo transformado uma doença cuja sobrevida em 10 anos girava em torno de 10%, em uma doença crônica, com sobrevida próxima à da população normal, o desenvolvimento do Imatinib merece ser repercutido em todos os meios como um exemplo a ser seguido no que diz respeito à perspicácia de clínicos e cientistas, e ao inesgotável potencial benéfico da colaboração entre academia e indústria farmacêutica. No entanto, um artigo publicado na revista Blood em Abril de 2013, recentemente repercutido em editorial da Nature Medicine, revela que o caso ensina não apenas por seus acertos, mas possivelmente também por outros motivos. 

Em comentário sobre o preço atual de inibidores de tirosino-quinase, um grupo de mais de 100 médicos e pesquisadores, incluindo 5 brasileiros, aponta 4 aspectos críticos sobre os preços praticados para novos agentes para o tratamento da LMC, que de acordo com o grupo seriam: (1) muito altos, (2) insustentáveis, (3) limitantes para o acesso de muitos pacientes a um tratamento altamente eficaz e (4) danosos para a sustentabilidade dos sistemas nacionais, públicos e privados, de financiamento da saúde. Explorando a história do desenvolvimento destes agentes, assim como os critérios de precificação de medicamentos, o artigo discute como conciliar conceitos abstratos como “preço justo” e valores aceitáveis para medicações com potencial de prolongar a vida de pacientes com câncer, com a sustentabilidade da pesquisa e desenvolvimento farmacológico na iniciativa privada, com a sustentabilidade dos sistemas de nacionais de saúde. Através de uma análise detalhada do caso do imatinib no que diz respeito aos custos iniciais, custos de desenvolvimento do produto, lucros presumidos e efeitos sobre o custo das novas gerações destes agentes, o painel de especialistas faz um diagnóstico contundente de que os preços atualmente praticados para novos tratamentos para o câncer podem ameaçar tanto o acesso de muitos pacientes a estas tecnologias, quanto a sustentabilidade financeira de sistemas de saúde. Em um momento em que múltiplos aspectos da assistência à saúde são discutidos de forma apaixonada por toda a sociedade, o artigo é uma fonte extremamente rica de informações sobre um ponto crucial desta questão.

Acesso livre em:

Artigo (Blood): http://bloodjournal.hematologylibrary.org/content/121/22/4439.long

Editorial (Nature Medicine): http://www.nature.com/nm/journal/v19/n6/full/nm.3244.html

Comentário da ABHH: http://www.abhh.org.br/pt-br/ciencia/area-cientifica/noticias/item/357-blood-traz-análise-cr%C3%ADtica-dos-custos-terapêuticos-da-lmc-no-mundo

Por Erich de Paula

 

 

Deixar uma resposta