Novos modelos para estratificação de risco na LMA

Muito se tem falado sobre o impacto de novas tecnologias de sequenciamento genético sobre o entendimento da fisiopatologia do câncer. A cada edição das principais revistas científicas, uma imensidão de dados sobre o “perfil molecular” de várias neoplasias é divulgada, lançando as bases para que, em outras neoplasias, o percurso entre a descoberta do cromossomo Filadélfia e o tratamento atual da LMC seja reproduzido. No entanto, uma área em que a incorporação destas descobertas vem ocorrendo e forma bem mais rápida é a do diagnóstico do câncer. Neste contexto, dois estudos recentes publicados no New England Journal of Medicine e Blood mostram como esta incorporação pode refinar a avaliação de pacientes com LMA. Continuar a ler

Rastros moleculares da LMA recidivada

A percepção que para pacientes com leucemia mielóide aguda (LMA), os desgastantes ciclos de indução e consolidação poderiam ser muitas vezes representados pela clássica imagem do “enxugador de gelo” é inevitável diante de cada nova recidiva. Um estudo publicado na Nature em Janeiro de 2012 conseguiu seguir passo a passo os rastros moleculares destes eventos. Continuar a ler

O uso da aspirina na prevenção de tromboses venosas

Quem não conhece um hematologista que, furtivamente, tomou 100 mg de aspirina antes de uma viagem intercontinental para prevenção de tromboses venosas? Até recentemente, a mera sugestão de uso de aspirina para a prevenção de uma TVP poderia ser considerada uma falácia. Pois bem: estes tempos podem estar chegando ao fim, a partir de um estudo publicado em Maio de 2012 no New England Journal of Medicine. Continuar a ler